Maria Dulce de Almeida Borges, coordenadora do setor de educação da UNESCO no Brasil. Guiné-Bissau.
"Não tenho dúvidas quanto a importância desta festa. É uma oportunidade que os países africanos têm para mostrar a cultura de seus povos. Estou muito emocionada por participar desta celebração."

O Professor e Doutor em Educação Matemática Saddo Ag Almouloud nasceu no Mali e é o presidente do Fórum África, entidade que reúne africanos e afro-brasileiros empenhados em preservar e promover a cultura daquele continente.
Uma das principais realizações do grupo é a Festa da África, que a cada edição supera o sucesso dos anos anteriores e confirma o interesse dos negros brasileiros nos assuntos africanos.

Portal Qual o objetivo da festa?

Saddo Almouloud Nossa intenção é festejar o Dia da África, comemorado em 25 de maio, reunindo africanos e brasileiros.

Portal Quantos países estão aqui representados nesta noite?

Saddo Almouloud Mais ou menos 20 países, entre eles posso destacar África do Sul, Angola, Mali, Nigéria, Moçambique, Senegal, Costa do Marfim e Guiné-Bissau, entre outros.

Portal Desde quando o Fórum promove a festa?

Saddo Almouloud Este é o terceiro ano que realizamos a festa, mas o Fórum já existe há mais tempo. No início éramos apenas uma comissão, com o aumento dos projetos criamos uma associação e começamos a organizar a festa.

Avone Pedro, nutricionista
Moçambique


"Para nós africanos é muito saudável a oportunidade de estarmos com os negros brasileiros e reencontrarmos nossos irmãos africanos que moram aqui. Eu me sinto ainda mais satisfeita por ter ajudado na elaboração do cardápio e perceber que todos gostaram do jantar. Estou muito feliz e orgulhosa por ser mulher, negra e africana."

Mpho Mminele, Cônsul do Consulado Geral da República da África do Sul em São Paulo.

"Estou achando muito interessante todos estes africanos e seus descendentes estarem comemorando o Dia da África fora do continente africano! Isto significa que a África caminha para frente, rumo a uma verdadeira liberdade, deixando para trás o passado colonialista. Participar desta festa nos enche de orgulho e alegria."

Dra. Clementina, advogada e delegada de polícia.Brasil

"Esta festa tem muita importância política e social. Sugiro que não seja realizada apenas uma vez por ano, mas várias vezes ao ano! Por outro lado, ironicamente, o Dia da África está sendo comemorado na Casa de Portugal... Penso que já é tempo de termos aqui no Brasil a Casa da África, dos africanos e afro-brasileiros. Nós merecemos!"

Dr. Lázaro da Silva, advogado e promotor público
Brasil

"Acredito que encontros como este devam acontecer periodicamente e não apenas uma vez por ano. É muito importante este contato entre os negros brasileiros e africanos. O negro precisa deixar de ter vergonha do outro negro, em qualquer circunstância!"

Gilka Rodrigues, enfermeira e professora.
Brasil

"É uma noite muito importante. Venho participando todos os anos desta celebração."

Adekunle Aderonmu, empresário - Nigéria
"Este encontro que reúne os negros brasileiros e africanos serve para trocarmos experiências e aprender um pouco mais sobre a cultura de nossos povos."

Eumar Meirelles Barbosa, empresário
Brasil.

"Todo evento que reúna a comunidade negra tem sua importância. Principalmente este, com características internacionais."

Carmen Silvia, visagista
Brasil
"Nós negros brasileiros segregamos os negros africanos da mesma forma que os brancos nos segregam. Fingimos que eles não existem. Eles vêm para o Brasil, estudam, se formam, tornam-se doutores e montam aqui suas empresas. E nós teimamos em ignorá-los. Este é um dos motivos da importância desta festa, dar-lhes visibilidade."

Glória Mmaletsabisa, tradutora e professora de inglês.África do Sul
"Esta festa é muito importante por nos dar a oportunidade de mostrar um outro lado do povo africano. Geralmente as informações que os brasileiros recebem da África falam apenas de miséria, fome e doenças. Vocês não conhecem a fundo nossa criatividade e a maneira particular que temos de conviver socialmente. Por tudo isto este evento é muito importante."

Betty Acra, psicóloga e estilista - Brasil
"Estou muito feliz por participar. Espero que no próximo ano tenhamos mais países representados e a festa cresça cada vez mais!"

Maestro Cassemiro
Brasil
"Nós afrodescendentes brasileiros não conhecemos a fundo as raízes de nossa própria cultura. Não temos a dimensão da riqueza de nossa música, culinária e vestimenta. Esta oportunidade que nossos irmãos africanos nos oferecem para que conheçamos um pouco mais sobre nosso continente de origem é muito valiosa."

Da esquerda para direita, Dra. Clementina, Dr. Lázaro e a professora Gilka.
Maestro Estevão Maya-Maya
Prof. Dr. Tiago de Oliveira Pinto
Tcherno Ndjai - Guiné-Bissau

Anita Sani, relações públicas - Guiné-Bissaú
"É uma festa muito bonita. Poder reencontrar os amigos, conhecer os africanos que aqui residem e os afro-brasileiros nos emociona demais."

capa abertura palestras jantar desfile show baile organizadores